0

O amor é uma coisa que se aprende

O psicanalista busca nas origens das narrativas amorosas uma verdadeira revolução. A partir do século 18, o amor foi o agente ideológico da supremacia do indivíduo contra as regras sociais. Com isso, o sujeito passa a ter que inventar a si mesmo. Nós aprendemos a amar com as histórias que ouvimos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top